Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2010

Vem Senhor Jesus!

Aos homens sem armas, Deus promete a vitória da Paz. Um homem desarmado é um homem vulnerável... mas ele pode também desarmar os violentos que lhe fazem face. Jesus veio precisamente desarmar os homens. Apresenta-Se como “Príncipe da Paz”. Proclama felizes os construtores de Paz, porque a Paz é uma obra: faz-se a Paz, infelizmente também se faz a guerra. Neste período da nossa história marcado pela violência, apresentemo-nos sem armas: apenas com a da reconciliação, dando um passo; a do diálogo, escutando e falando; a do respeito, olhando e ousando falar; a da solidariedade, estendendo a mão... Os desarmados não são gente que baixa os braços dizendo: “nunca se conseguirá!” A vitória é-lhes assegurada pelo próprio Deus: “Glória a Deus e paz na terra aos homens por Ele amados!”

Tempo de espera!

Começou o Tempo do Advento que nos ajudará a preparar e a viver melhor o grande evento da Encarnação de Jesus. Não há Natal sem Advento.  O tempo de Advento,é um tempo de espera. Vivemos, numa sociedade em que se pode ter tudo e tudo imediatamente e de consequência não temos, ou melhor, não somos educados à paciência para esperar. O advento porém é o Tempo de expectativa  e de abertura ao novo, com o olhar clarividente dos profetas.(«Converter as espadas em relhas de arado e as lanças em foices»  como diz Isaias 2 - Primeira leitura). Tempo de esperança e de compromisso para um Mundo melhor, numa vida mais simples, mais frugal e mais solidária. Tempo de alegria e de certeza, a certeza que nos vem da Verdade: Porque Ele está connosco!  Ele é o Deus-connosco! Com o Advento começa também o novo ano liturgico (ano A) e o Evangelista que nos acompanhará será Mateus. O seu Evangelho é essencialmente catequetico e ecclesial. O tema de fondo é o “Reino dos céus”. Mateus procura com o seu Evangelho …

Cristo Rei!

Na oração do Pai Nosso, Jesus faz-nos pedir, e reza connosco: “Não nos deixeis cair em tentação”. De facto, Jesus foi submetido à tentação e resistiu. A este propósito, Lucas dá uma estranha precisão, dizendo que o diabo afastou-se de Jesus até ao momento fixado. Este momento é quando Jesus é pregado na cruz. No deserto, o diabo tinha dito: “Se és o Filho de Deus...” Agora Jesus ouve: “Não és Tu o Messias? Salva-Te a Ti mesmo e a nós também”. É a mesma tentação: se Jesus é verdadeiramente o Messias, o Filho de Deus, deve dispor de toda a omnipotência de Deus. Então, que utilize este mesmo poder para cumprir um último milagre e despegar-Se da cruz. Até os seus inimigos ficariam confundidos. Mas Jesus resistiu. É porque algo de sumamente importante está aqui em jogo. Trata-se, uma vez mais, do verdadeiro rosto de Deus que Jesus veio revelar. Não um Deus todo-poderoso à maneira dos homens, mas um Deus Pai que só pode fazer uma coisa: amar, amar os seus inimigos, ainda e sempre, mesmo qu…

A tua paz

NATO invadiu Lisboa!  Num país em crise, o espectáculo dos sorrisos, fotos, declarações, parcerias, visita às casas da moda, compras, fantasias, jantares...  Lá longe, no Afeganistão, a realidade da guerra e da fome e da destruição continuam... Com 131 mil soldados da NATO...  Pensam retirar,mas pretendem chegar aos 170 mil...  Portugal já ofereceu mais alguns... (NATO =  Não  Aceitamos  Tanto  Orgulho) Um testemunho a causar arrepios: Ontem, no Porto, o testemunho de uma criança soldado.(Há actualmente umas 30 mil crianças soldado) A ugandesa China Keitetsi, aos 9 anos, viu a sua infância roubada quando a forçaram a transformar-se numa criança soldado.  Tinha fugido de casa do pai para encontrar a mãe e acabou por ser recrutada para o Exército ugandês para combater na guerra civil.
«Vimo-nos transformados em soldados, deixámos de ser crianças. Foi-nos dada uma arma que era para matar o inimigo, era o que nos diziam.  Então, não pensamos em matar pessoas mas em matar o inimigo.» Lembrou. Tal como as …

Não temas!

Na lista dos personagens que Lucas apresenta no seu Evangelho, Zaqueu é a figura do pecador convertido, cuja conversão testemunha que “aquilo que é impossivel aos homens, é possível a Deus”. Até o rico pode tornar-se uma testemunha do Reino.  Além da figura do perdão de Deus, Zaqueu é também figura do poder de Deus que transforma um homem invertendo a direção da sua vida: “Zaqueu, desce depressa, porque hoje devo ficar em tua casa”. Notemos a delicadeza das palavras de Jesus que não diz: desce depressa porque quero converter-te. Mas: quero ser o teu hóspede. Parece que Jesus se faz necessitado para poder, depois ter a possibilidade de perdoar e de doar-se. Jesus acolhe Zaqueu antes da conversão. Não é a sua conversão a suscitar a simpatia de Jesus a seu respeito, mas é a prévia simpatia de Jesus que provoca a conversão. A iniciativa é de Jesus e é gratuita que, porém vai ao encontro da disponibilidade do homem. O encontro com Deus é sempre ao mesmo tempo dom e cumprimento de uma busca.…

Sinais provisórios!

O fim do mundo! Não podemos descobrir no nosso tempo todos estes sinais do fim do mundo tal como Jesus os dá? “Há-de erguer-se povo e reino contra reino. Haverá grandes terramotos e, em diversos lugares, fomes e epidemias”. Diríamos hoje epidemias como a sida, a gripe das aves... Muitas coisas podem servir para manipular o medo e a angústia de muitas pessoas. Para mais, há toda uma panóplia de seitas. Mesmo no cristianismo vemos surgir regularmente aparições de várias espécies. O “regresso do religioso” toma muitas vezes a forma de uma procura de sinais milagrosos, de predições sobre tudo e sobre nada. Há mais magos, adivinhos, cartomantes, astrólogos e gurus de toda a espécie, do que padres. Quem nunca leu um horóscopo? E suma, o esoterismo está na moda. E, para tranquilizar a consciência, até nos apoiamos nas palavras de Jesus. Mas Jesus adverte-nos: “Tende cuidado; não vos deixeis enganar, pois muitos virão em meu nome e dirão: ‘sou eu’; e ainda: ‘O tempo está próximo’. Não os sig…

Dá-nos a fé!

Amo a oração. Sinto a sua necessidade. Sinto uma força extraordinária que me vem da meditação orante da palavra de Deus. Mas rezo mal e distraio-me sempre, como todos. Nem sempre de manhã, antes do sol nascer, consigo levantar-me para com os irmãos elevar um canto de louvor ao Pai da criação e muitas vezes à noite o cansaço prevalece sobre o desejo.
Reconheço que tenho uma sorte grande visto que a Palavra está ao centro da minhs escolha. É dificil rezar. Convercer-se ou melhor converter-se à oração não é fácil. Mas é igualmente difícil ou mesmo impossível fazer parar de rezar àquele que na oração encontro o rosto de Deus. Os santos ensinam-nos isto mesmo. A oração é aquele santuário onde o crente descobre o verdadeiro rosto de Deus. É o lugar onde a nossa alma encontra e unifica a nossa vida fragmentada e desnorteada. Conservar e cultivar uma vida interior nestes tempos que correm tornou-se uma emprese para gigantes.
Jesus veio no mundo e manifestou-nos o verdadeiro rosto de Deus. Jes…

Jesus, tende piedade de nós!

A experiência dos 10 leprosos é uma parábola que ilustra a nossa própria experiência. Quando Jesus atravessa aquela região se acende neles a luz de uma experiência. Gritam, aquele grito que a vida nos faz elevar ao atravessar a nossa história: Jesus, tende piedade de nós. Naquela ocasião, como ás vezes hoje, é pronta e ao mesmo tempo estranha: ide apresentar-vos aos sacerdotes.  A lei de Moisés prescrevia ao leprosos curados de apresentar-se aos sacerdotes, para que pudesse ser verificada a cura e assim reentrar na vida comum. Fazendo isto Jesus faz referência a quanto prescreve  a lei. Desde o início a lei foi dada a Moisés como instrução que acompanha o caminho em direcção à Terra Prometida. Portanto, seria inútil mandar os leprosos aos sacerdotes e á lei se longo o caminho não sucedesse aquilo que sucedeu: longo o caminho que os conduzia aos sacerdotes ficaram curados. Assim acontece no caso de cada nosso comportamento sugerido pela obediência da lei que seria absolutamente estéril …

Uma existência nova!

Não nos riamos desta história ridícula, inventada pelos saduceus. É verdade que uma prescrição da Lei de Moisés dizia que uma mulher que não tinha tido filhos e que se tornara viúva devia casar com o irmão do defunto para ter um filho que seria considerado como o filho deste defunto. A história dos saduceus é rocambolesca. Mas estes últimos, contrariamente aos fariseus, não acreditavam na ressurreição, com o pretexto de que Jesus não lhes havia dito nada sobre isso. Então, querem apanhar Jesus em falta, Ele que acreditava na ressurreição. Com a sua história, eles ridicularizam Jesus e a crença na ressurreição. Ora, esta ideia da ressurreição não é hoje mais evidente do que há dois mil anos. Os gregos reencontrados por São Paulo não acreditavam nisso. E hoje, os cristãos, mesmo muito “praticantes”, são cada vez mais numerosos a aderir à teoria da reincarnação. É verdade que nunca se viu ninguém voltar do além da morte, enquanto se fornecem quantidades de testemunhos de pessoas que diz…

vou cantar um hino à vida!

Hoje, 3 de Novembro, é o dia do meu 27º aniversário e, naturalmente, é um dia muito feliz. A primeira coisa que fiz foi erguer os olhos e o coração ao alto para cantar um hino à vida. Vida que me foi doado na máxima gratuidade e me é pedido apenas de viver-la com intensidade e paixão. A Deus, de facto, tenho muitas razões para dizer “obrigado” porque efectivamente estes anos foram simplesmente fantásticos e hoje posso afirmar que sou um jovem feliz e isto não é pouco. O maior dom foi, e continua a ser, a minha vocação franciscana-capuchinha. Ser frei abriu-me os horizontes e fez-me entender que a vida é bela quando é doada para os outros na paz e no bem. Depois de agradecer a Deus, senhor da minha vida, não posso esquecer a minha família começando do meu saudoso pai que no céu continua a abençoar-me. Depois a minha caríssima mãe que me educou com simplicidade e verdade. E depois os meus 8 irmãos. A vida tem sido generosa comigo. Fez-me um irmão não de 8 pessoas mas de uma multidão ime…